Pular para o conteúdo principal

Maria Bethânia - Rosa Dos Ventos: O Show Encantado (1971)

Depois da fase de boates e pequenos teatros, Bethânia partiu para espetáculos mais ambiciosos e platéias maiores. Rosa dos Ventos (1971), que originou este disco, selava definitivamente a feliz parceria da cantora com o diretor Fauzi Arap, num estilo de espetáculo bem teatral, entremeando textos e canções populares de várias épocas e estilos. Nele, a cantora declamava pela primeira vez Fernando Pessoa e cantava jóias de letras ora enigmáticas, como as caetânicas Janelas abertas nº 2 e (Objeto) Não identificado, ora mágicas, como Doce mistério da vida, Minha história e um pot-pourri de canções praieiras. Apesar de mal gravado e de picotar o roteiro original do show, este disco foi seu LP mais vendido até então por ser um documento histórico deste espetáculo que exprimiu o sentimento de toda uma geração, causando uma verdadeira catarse no público, e mudou até mesmo o conceito de “shows de cantores” que se tinha até então no Brasil. Antológico.
Faixas:
01. Assombrações
02. O Tempo e o Rio -…

Maria Bethânia - Maria Bethânia (1965)

Esse foi o primeiro LP de Maria Bethânia. Nele, ela lançava como compositor o mano Caetano Veloso (De manhã) e como cantora, Gal Costa num dueto na canção 'Sol Negro'. O álbum traz muitas canções deliciosas de Noel Rosa, Monsueto, Braguinha, Caymmi, Batatinha, que ela já adorava cantar desde aquela época. A voz era ainda um diamante bruto, mas o resultado já era emocionante, instigante e um ótimo presságio do que estava por vir em sua carreira.

Faixas:
01. De Manhã
02. Só Eu Sei
03. Pombo Correio
04. No Carnaval
05. Nunca Mais
06. Sol Negro
07. Missa Agrária - Carcará
08. Anda Luzia
09. Feitio de Oração
10. Feiticeira
11. X do Problema
12. Mora Na Filosofia

Baixar:

67 MB - ZiP - MP3 - 320 Kbps - REMASTERIZADO



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maria Bethânia - Rosa Dos Ventos: O Show Encantado (1971)

Depois da fase de boates e pequenos teatros, Bethânia partiu para espetáculos mais ambiciosos e platéias maiores. Rosa dos Ventos (1971), que originou este disco, selava definitivamente a feliz parceria da cantora com o diretor Fauzi Arap, num estilo de espetáculo bem teatral, entremeando textos e canções populares de várias épocas e estilos. Nele, a cantora declamava pela primeira vez Fernando Pessoa e cantava jóias de letras ora enigmáticas, como as caetânicas Janelas abertas nº 2 e (Objeto) Não identificado, ora mágicas, como Doce mistério da vida, Minha história e um pot-pourri de canções praieiras. Apesar de mal gravado e de picotar o roteiro original do show, este disco foi seu LP mais vendido até então por ser um documento histórico deste espetáculo que exprimiu o sentimento de toda uma geração, causando uma verdadeira catarse no público, e mudou até mesmo o conceito de “shows de cantores” que se tinha até então no Brasil. Antológico.
Faixas:
01. Assombrações
02. O Tempo e o Rio -…

Elba Ramalho - Leão do Norte (1996)

Elba Ramalho é a única cantora brasileira capaz de encarar com sabedoria, competência e sensibilidade um projeto como este. A verdade do nordeste corre no sangue dessa paraibana arretada e abraça o Brasil pela sua voz. Neste significativo álbum em sua carreira, ela vai fundo na obra de personagens de épocas diversas, responsáveis pela grandeza da música nordestina. Da mesma maneira que algumas dessas canções ainda podem estar se sedimentando, pois seus autores estão em plena produtividade, outras foram embaçadas pelo tempo, mas não se desligaram dos alto-falantes internos que ressoam na memória de muitos de nós. Elas representam o extrato, a fina flor da obra desses eméritos criadores do canto popular nascidos na região. São os compositores ouvidos há anos nas rádios do Maranhão, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Bahia, nos auditórios das rádios cariocas, nos discos de 78 das eletrolas, nos LPs dos toca-discos e mais recentemente nos CDs dos players dos anos 90, nas FMs e MTVs. E durante an…